Autor tem influência do Poema-Processo, de Wlademir Dias-Pino

Exposição traz 17 poemas inéditos, relacionados à palavra ou à ideia de movimento

Poesia misturada à movimentação corporal do autor poderá ser vista em monitores na exposição

O Oi Futuro inaugura dia 7 de abril, domingo, a exposição “Palavra-Movimento”, de Eduardo Macedo, que integra o Programa Poesia Visual e Digital, com curadoria de Alberto Saraiva. Especialmente para a mostra, o poeta Eduardo Macedo escreveu 17 poemas, todos eles relacionados à palavra ou à ideia de “movimento”. O público poderá assistir a sequências de movimentações feitas pelo autor e exibidas em 10 monitores. Os áudios dos poemas estarão em off no ambiente. A exposição vai ocupar o 5º nível de Centro Cultural Oi Futuro, no Flamengo, e tem patrocínio da Oi, Prefeitura do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS, com apoio cultural do Oi Futuro.

De acordo com o curador, “a poesia de Eduardo Macedo aborda as sensibilidades relativas ao corpo num espaço definido entre os movimentos propulsores da dança e a palavra ‘falada-escrita’. Seu corpo é o motor de seus poemas numa perspectiva que incorpora a tradição da dança passando pelo clássico até o contemporâneo”, avalia.

Ainda segundo Saraiva, Eduardo tem influência do Poema-Processo de Wlademir Dias-Pino, que abordava o poema como uma produção corporal, performática, imagética; nesta direção e a partir dela, o artista construiu o poema aqui apresentado. “Trata-se de uma caligrafia corporal que separa a imagem do corpo de sua oralização no ambiente físico, criando um ruído entre aquilo que é falado e o que é visto, na tentativa de confrontar as duas nuances e reuni-las em camadas de imagem e de som”, completa Alberto Saraiva.

Sobre Eduardo Macedo

Bailarino, coreógrafo e poeta, Eduardo Macedo nasceu no Rio de Janeiro em 23 de abril de 1973. Iniciou sua carreira em Manaus em 1994 onde atuou como bailarino no Grupo Espaço de Dança do Amazonas e como ator no Grupo Metamorfose. Em 1997 mudou-se para Curitiba onde fez sua graduação em Dança na Faculdade de Artes do Paraná, além de dançar pela escola do Teatro Guaíra e no grupo da Universidade Federal do Paraná. No Rio desde 2002 é professor de ballet clássico e coreógrafo independente. Estreou como poeta em 2014 com o livro Poemas Quentes, pela Personal editora e pela Giostri editora. Poeta convidado no projeto Poesia Visual do Oi Futuro, participou do livro Poesia Visual 4 e da exposição Cartas para Mabel.

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, promove ações de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte para melhorar a vida das pessoas e transformar a sociedade. O instituto impulsiona iniciativas colaborativas e inovadoras, fomenta experimentações e estimula conexões que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo. Na Cultura, o instituto é um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a co-criação e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém um centro cultural no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, e realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público. O Instituto também tem o Museu das Telecomunicações, pioneiro no uso da interatividade no Brasil, e o LabSonica, laboratório de experimentação sonora e musical.


Serviço

Oi Futuro (Rua Dois de Dezembro 63 – Flamengo)

Abertura: 7 de abril, domingo, das 13h às 20h

Visitação: de 9 de abril a 02 de junho de 2019

Terça a domingo, das 11h às 20h | 5º nível

Entrada franca | Classificação etária: livre

Informações: (21) 3131-3050

Assessoria de Imprensa

George Patiño