O Amor na zona de conforto

///O Amor na zona de conforto

Após anos de relacionamento, sabemos que ainda existe amor, porém os interesses em comum já não são mais os mesmos. Talvez pela certeza do amor e estabilidade emocional vivemos uma relação cômoda e sem muitas novidades como nos primeiros anos. Não pensamos em separação, mas o que podemos fazer para sair dessa zona de conforto que a mim muito incomoda?

Resposta a leitora X (nome omitido por sigilo ético)

Cara Leitora,

Vamos falar inicialmente sobre esta questão que envolve relacionamento: é comum observarmos que os casais falam muito pouco sobre como pensam que será uma vida em comum ou sobre futuro e planejamento dentro do relacionamento. É claro que não queremos aqui deixar a ideia de que isto seja o tempo todo importante, mas certamente é preciso que tenhamos claro quais serão as diretrizes da vida em comum e como pretendem viver o relacionamento.

Feito isto e tudo caminha bem, mas de repente se deparam com situações em que os interesses são diferentes ou que se despertam para outras coisas, que até então não atentavam. É comum que passados os anos iniciais de namoro ou casamento em que paixão ou furor de sentimentos mais intensos se arrefeçam e se entre num período mais tranquilo e confortável; e isto também faz parte do processo natural de amadurecimento e desenvolvimento do relacionamento, porém pode trazer a sensação incômoda com a acomodação. Para que isso não venha a ser um problema, é importante que tenham tranquilidade a abertura para tratarem desta questão e poderem pensar juntos como mudar ou melhorar neste aspecto, ou seja, trazer novas motivações, ideais ou ambições entre ambos.

É sempre de fundamental importância ter um bom canal de comunicação em que ambos possam falar sobre tudo: seus desejos, expectativas, sonhos, ideais, frustrações, mágoas, decepções, enfim, falar daquilo que seja importante, compartilhar para poderem buscar caminhos de entendimento, melhora e resolução do que quer que esteja incomodando.

Dica: DR – discutir a relação é sempre fundamental, não para brigas ou desentendimentos, mas sim para o que pode ser promovido de bom, positivo e satisfatório para o par.


foto: Hunter Newton

Quer enviar uma pergunta?

Nesta coluna, o sexólogo e terapeuta de casais Eduardo Yabusaki responde perguntas sobre relacionamento, sexualidade e amor. Se você tiver alguma dúvida ou questão precisando de resposta, use o formulário abaixo para enviar a sua pergunta!

As respostas do Dr. Yabusaki serão publicadas de forma anônima, garantindo a privacidade de quem enviar perguntas!


A Venus Digital respeita a privacidade dos seus usuários. Para mais informações, veja a nossa Política de privacidade.

2018-09-03T16:15:48+00:00

Sobre o Autor:

Eduardo Yabusaki
Eduardo Yabusaki é psicólogo formado pela UniFMU de São Paulo em 1990. Especializado em Terapia Comportamental Cognitiva, Educação Sexual, Sexologia Clínica e Terapia de Casal. Pósgraduado em Sexologia pela Faculdade de Medicina do ABC. Experiência de 27 anos atuando em Sexologia. Consultor em programas como Jornal Hoje – Globo, Record Minas e Canal Futura. Membro do ITHS – Instituto de Terapia e Habilidades Sociais e NTPC – Núcleo Terapêutico de Psicologia Comportamental. Na Vênus Digital atua como colunista. É responsável pelo site: www.vidadecasalbh.com.br