Que fio tece seu destino?

Na mitologia grega, há uma entidade cega conhecida como Moros, o deus do destino e da sorte, bem como também o deus das criaturas do tártaro e da morte.

Nas histórias, ele tinha os pés no chão e uma estrela nas mãos, o que simboliza a sua ação no céu e na terra, ou seja, até Zeus e os deuses eram submetidos a seus desígnios, e seu mito nos fala de inevitabilidade.

Seu outro nome era Aeon, que significa tempo eterno, e suas leis estariam todas escritas em um grande livro que poderia ser acessado, porém somente através dos oráculos.

De acordo com a mitologia, ele encontrou uma cara-metade e teve três filhas, as Moiras, que, abaixo das estrelas, num tear gigante, tecem e cortam o fio da vida.

Eu sempre acreditei em destino, mas tenho uma suspeita de que esse fio que tece a vida é o amor e existem vários tipos deste…

Diz o mito que Moros roubou três flechas de Eros e as escondeu no mundo dos humanos. Caso fossem encontradas e jogadas, fariam o tempo voltar. Se eu roubasse algumas flechas hoje e voltasse em algumas histórias seriam essas:

1-      Um rapaz de 17 anos quebra os óculos em um encontro do colégio, mal enxerga, mas fica fascinado com a voz de Julia. Seu coração a percebe, como um navegador da Odisseia percebe uma sereia. Uma semana depois, reencontram-se, ela toca violão na missa do Patronato da Gávea e ele finalmente a vê. Aproxima-se, tenta pedi-la em namoro, mas não rola. Entre idas e vindas, Julia casou-se quatro vezes e se tornou poeta e editora; ele casou-se quatro vezes e virou fotógrafo. Por meio dos desencontros da vida, encontraram-se sem nunca terem tido nada. Quatro décadas depois, um poeta seria publicado pela editora dela, contratando um fotógrafo para o livro. O casal se reencontra, ficam juntos e estão se perguntando por que tiveram que esperar 44 anos para isso acontecer.

2-      Amanda é uma jovem brasileira que foi transferida para Omam. Seu futuro marido também. Amanda e uma amiga conheceram um colega de trabalho dele num bar. O colega as convida para uma festa na casa do vizinho e futuro marido dela: amor à primeira conversa. Estão juntos há anos.

3-      Quando David completou quatro anos, seu pai comprou um violino para o irmão mais velho, que não gostou do instrumento. David interessou-se e logo aprendeu a tocar. Um ano depois, participou de uma competição e ganhou o primeiro lugar. Aos treze anos, apaixonado pela música, tornou-se o artista mais jovem a ter um contrato de exclusividade com a gravadora Grammophon. Hoje, ele toca o “Adolf Busch” Stradivarius.

4-      Marina tem um tio, filho temporão da avó, que é casado com a irmã mais velha de um cara superdescolado. João é um jovem famoso e bem-sucedido; Marina é uma artista plástica jovem e em começo de carreira. Eles se encontram em festinhas de Natal e eventos de família, até que um dia, depois de muitos natais, aquela atração guardada fala mais alto e ele a convida para ir ao cinema. Depois do cinema, eles veem um encantador de cobras:  – Se eu beijar a cobra, você me beija? – Ela aceita, começam a sair, a namorar. Estão casados há mais de trinta anos. Ela o ajudou a ser escritor e ele a ajudou a ser pintora.

5-      O sonho de Ana é ir a Paris. Ela passa a adolescência juntando mesada. Passa o estágio fazendo economia. Assim que tem o suficiente, embarca. Chegando lá, vai a Champs- Elysées, olha para o Arco do Triunfo enquanto atravessa a rua, sente-se triunfante, respira o cheiro de amendoeiras quando chove, olha os céus, suspira realizada e em seguida é atropelada. Seu atropelador vai visitá-la uma vez, outra e outra… Eles se apaixonam e se casam.

6-      Ela é a única mulher que sabe fazer seda do bisou, a antiga arte italiana da fiação de “seda marinha”, quase extinta. Chiara Vigo coleta a saliva de uma variedade rara de mexilhão e o transforma em um material brilhante dourado, chamado bisso ou linho fino. Ela não cobra um tostão por sua arte, diz que “o bisso é a alma do mar, é sagrado” e que quando chegar a hora vai encontrar uma sucessora. Quando lhe perguntam por que tanta dedicação, ela responde: “Não é questão de dinheiro, jurei à minha avó e ao mar que conservaria a arte do bisso. O segmento mais importante para a minha família foi o fio de sua história, sua tradição”.

 E você, qual o fio que tece sua história? Quando o fio for cortado, qual ou quais terão sido os fios mais importantes para a sua vida?

2018-10-22T15:31:20+00:00

Sobre o Autor:

Patrícia de Luna
Patricia De Luna é escritora, psicóloga apaixonada por Jung, palestrante e pesquisadora interessada em temas como religiões, arqueologia, mitologia, história, espiritualidade, grandes lideranças femininas, contos de povos e nações e lugares sagrados. No teatro, escreveu o musical infanto-juvenil A Lenda de Apoena. Tem três livros publicados, todos esgotados nas editoras, ainda podem ser encontrados na web. Apresenta o programa de Youtube Historias Secretas. Na Vênus assina a coluna Afrodite em tempos de Cólera.

2 Comments

  1. Joana 20/09/2018 em 18:55 - Responder

    Gosto de ler suas teses São bem reais.

  2. Maria Elisa 21/09/2018 em 15:18 - Responder

    Sou apaixonada p. Música igual a meu pai …. não sei se deixarei o legado…..

Deixar Um Comentário