Relacionamento idealizado, evoluindo para o real e profundo

///Relacionamento idealizado, evoluindo para o real e profundo

foto Tiraya Adam

A paixão e o relacionamento idealizado, evoluindo para o real e profundo

 

Quando iniciamos um relacionamento somos invadidos por uma série de sentimentos intensos, gostosos e empolgantes; diante desta paixão inebriante que acontece de forma arrebatadora e maciça, é comum deixarmos de observar várias características divergentes e mesmo outras que consideremos defeitos; e assim nos entregamos integralmente aos sentimentos que explodem nosso peito e cérebro, regando-nos de serotonina e dopamina, hormônios responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar.

Passada a fase inicial da paixão e ao observar e conviver mais com o par envolvido no relacionamento vamos nos deparando com características que não consideramos tão positivas ou interessantes, e nessa hora é preciso ter muito cuidado para que não desiluda, se decepcione ou se frustre profundamente, afinal quem não tem os seus defeitos ou diferenças.

Antes de qualquer atitude nesse sentido é preciso fazer uma autocrítica, avaliação e reflexão para que não sejamos injustos em nossa análise, afinal de contas por mais que tenhamos nossas convicções, valores e conceitos, não significa que todos tenham que seguir a mesma cartilha, ou que ela é única e a mais correta. Podem existir outras cartilhas que tenham outras referências de vida e que são tão boas quanto as nossas, portanto é preciso que se tenha muita tranquilidade para avaliar a situação e só depois tomar decisões.

Quando vemos defeitos na outra pessoa é preciso que tenhamos alguns cuidados:

  1. Será mesmo que aquilo que vejo como um ‘defeito’ é mesmo um problema que interferirá no relacionamento ou estará despertando preconceitos meus em relação a determinado comportamento ou pensamento e opinião do meu parceiro.
  2. Isto que vejo como um ‘defeito’ é algo que está enraizado mesmo, ou pode ser algo que mude com o tempo e amadurecimento.
  3. Será que esta característica é crucial para o relacionamento e impossível de tolerar inviabilizando a convivência? Afinal, todos temos nossas características que aos olhos de outras pessoas podem parecer ‘defeitos’ e imperfeições, mas que nada mais é do que o jeito ou reação não intencional, ou um aprendizado de forma diferente.
  4. Se depois de avaliar seriamente tal ‘defeito’, ainda assim, continuar incomodada (o), fale, converse como seu par a respeito e veja a sua posição, desanimar e se desmotivar sem que isso possa ser resolvido pode significar deixar de viver a oportunidade de um relacionamento de amor profundo e de uma vida inteira, portanto, é sempre importante esgotar todas as possibilidades e não desistir por causa de um ‘defeito’ que veja no outro.

Saiba que a vida a dois envolve o enfrentamento de diferenças, divergências, conflitos, problemas e dificuldades, portanto isso sempre fará parte da construção da relação e não deve desanimar ou desmotivar diante das primeiras pedras que encontra pelo caminho do relacionamento.

Se acredita que ela possa ser a pessoa que vale a pena, lute e construa este relacionamento, com um bom canal de comunicação tudo se transforma e se supera, portanto acredite sempre! Viva e seja feliz! Amar sempre e desistir jamais!

2018-07-10T15:52:56+00:00

Sobre o Autor:

Eduardo Yabusaki
Eduardo Yabusaki é psicólogo formado pela UniFMU de São Paulo em 1990. Especializado em Terapia Comportamental Cognitiva, Educação Sexual, Sexologia Clínica e Terapia de Casal. Pósgraduado em Sexologia pela Faculdade de Medicina do ABC. Experiência de 27 anos atuando em Sexologia. Consultor em programas como Jornal Hoje – Globo, Record Minas e Canal Futura. Membro do ITHS – Instituto de Terapia e Habilidades Sociais e NTPC – Núcleo Terapêutico de Psicologia Comportamental. Na Vênus Digital atua como colunista. É responsável pelo site: www.vidadecasalbh.com.br

Deixar Um Comentário